top of page

Quais as condições associadas ao autismo?


O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição complexa que envolve amplas alterações no desenvolvimento do sistema nervoso central. Assim, é esperado que o transtorno não ocorra de forma isolada. Muito pelo contrário, mais 70% das pessoas com TEA têm ao menos uma comorbidade - ou seja, alguma outra patologia ou transtorno associado - com algumas pesquisas encontrando mais de 90% dos indivíduos com alguma condição associada.


A importância de se reconhecer essas comorbidades reside no fato de que, muitas vezes, nos deparamos com um indivíduo que não está alcançando os resultados esperados com o tratamento. Nestes casos, a razão da não resposta às intervenções, medicamentosas ou não, pode ser o prejuízo causado por uma outra patologia associada. Por exemplo, pessoas muito inquietas, que se movimentam repetidamente, podem estar manifestando a hiperatividade de um quadro de TDAH ainda não diagnosticado, e não uma estereotipia motora, por exemplo. Vamos falar mais sobre estereotipias em um outro artigo.


Exemplos de comorbidades associadas ao autismo

​TDAH Epilepsia Transtornos do humor (ansiedade e depressão) Distúrbios do sono Síndrome de Tourette Dislexia TOC Transtornos alimentares Distúrbios gastrointestinais


A seguir, examinaremos algumas das principais comorbidades associadas ao autismo:



Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)


O TDAH é uma condição neurológica que afeta a atenção, a hiperatividade e o controle dos impulsos. Ao menos 50% das crianças com autismo têm também TDAH. As crianças com autismo e TDAH podem ter dificuldade em prestar atenção, serem impulsivas e hiperativas, o que pode dificultar o aprendizado e a interação social.


Epilepsia


Epilepsia é uma condição neurológica caracterizada por crises convulsivas ou episódios de atividade elétrica anormal no cérebro. Cerca de 30% das crianças com autismo têm epilepsia. As convulsões podem ter um impacto significativo na qualidade de vida de uma pessoa com autismo, afetando a aprendizagem, o comportamento e a interação social.


Transtornos de Ansiedade


Os transtornos de ansiedade são condições que se caracterizam por um estado persistente e excessivo de ansiedade, preocupação ou medo, que interfere na vida diária e pode ser desproporcional às circunstâncias atuais. Pessoas com transtornos de ansiedade tendem a ter pensamentos repetitivos, bem como sintomas físicos, como tensão muscular, sudorese, taquicardia, entre outros. Os transtornos de ansiedade podem afetar negativamente a vida diária de uma pessoa com autismo, tornando mais difícil interagir socialmente e realizar atividades cotidianas.


Depressão


O transtorno depressivo é uma condição psiquiátrica caracterizada por tristeza, falta de energia e perda de interesse em atividades cotidianas. A depressão pode afetar o bem-estar emocional e físico de uma pessoa com autismo, levando a sentimentos de isolamento, que ocorre pelo prejuízo na interação social, baixa autoestima e até mesmo pensamentos suicidas.


Distúrbios do Sono


Cerca de 50% das pessoas com autismo têm problemas de sono. Esses distúrbios podem incluir dificuldade em adormecer, acordar frequentemente durante a noite ou acordar muito cedo. A falta de sono pode ter um impacto significativo na qualidade de vida de uma pessoa com autismo.


Síndrome de Tourette


A síndrome de Tourette é uma condição neurológica caracterizada por tiques motores e vocais. A síndrome de Tourette pode afetar negativamente a vida diária de uma pessoa com autismo, tornando mais difícil a interação social e a realização de atividades cotidianas.


Dislexia


A dislexia é um distúrbio de aprendizagem que afeta a capacidade de uma pessoa de ler, escrever e soletrar. A dislexia pode afetar significativamente o desempenho acadêmico e a interação social de uma pessoa com autismo. Isso pode levar a problemas emocionais, como baixa autoestima e ansiedade, além de dificuldades na comunicação e no desenvolvimento de habilidades sociais.


Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)


O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é caracterizado pela presença de pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos, que podem afetar significativamente a qualidade de vida da pessoa. Em indivíduos com autismo, os sintomas do TOC podem ser difíceis de reconhecer, já que muitos indivíduos com TEA têm comportamentos repetitivos e rituais que podem ser confundidos com sintomas de TOC.

No entanto, os comportamentos repetitivos em indivíduos com TOC geralmente são acompanhados por ansiedade e preocupações excessivas, o que os diferencia dos comportamentos repetitivos em indivíduos com autismo.


Transtornos alimentares


Transtornos alimentares também são comorbidades possíveis em indivíduos com autismo. Estes podem ir desde a seletividade alimentar até a anorexia e bulimia.

As razões pelas quais os transtornos alimentares são mais comuns em indivíduos com autismo não são totalmente compreendidas, mas pode estar relacionado a diferenças na regulação emocional, processamento sensorial e rigidez comportamental.

Alguns pacientes comentam que a variabilidade que um alimento natural pode ter acaba afastando-os desses alimentos. Por exemplo, uma fruta ou verdura pode ter cores diferentes, estar mais madura, mais azeda ou ter tamanhos diferenciados. Isso acaba os levando a se alimentar com comidas industrializadas, mais padronizadas, porém pouco saudáveis.

O tratamento de transtornos alimentares em indivíduos com autismo pode ser desafiador e geralmente envolve uma abordagem multidisciplinar, incluindo a participação de um nutricionista, psicólogo e médico.


Distúrbios gastrointestinais


Distúrbios gastrointestinais, como constipação, diarreia, refluxo e dor abdominal, são comuns em indivíduos com autismo. Estudos sugerem que até 70% dos indivíduos com autismo podem apresentar sintomas de distúrbios gastrointestinais.

As razões pelas quais os distúrbios gastrointestinais são mais comuns em indivíduos com autismo também não são totalmente compreendidas. No entanto, acredita-se que possa estar relacionado a diferenças na flora intestinal, problemas de alimentação e sensibilidades alimentares.

O tratamento de distúrbios gastrointestinais em indivíduos com autismo geralmente envolve uma abordagem multidisciplinar que inclui mudanças na dieta, uso de medicamentos, terapia ocupacional e suporte psicológico.



Em resumo, o autismo é frequentemente acompanhado por outras condições médicas e psiquiátricas. O reconhecimento e o tratamento dessas comorbidades são essenciais para melhorar a qualidade de vida de uma pessoa com autismo. É importante lembrar que cada indivíduo com autismo é único e pode ter necessidades e desafios diferentes. Portanto, o tratamento deve ser individualizado e adaptado às necessidades específicas de cada pessoa.

58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page