O que é uma crise convulsiva?

Atualizado: 7 de mai.

Existe diferença entre crise convulsiva, crise epiléptica e epilepsia?


O cérebro contém bilhões de neurônios (nome que damos às células nervosas). Eles criam e recebem impulsos elétricos e são esses impulsos elétricos que permitem que os neurônios se comuniquem entre si. Normalmente essa comunicação se dá por vias estabelecidas, permitindo que o cérebro trabalhe de forma orquestrada, com cada parte fazendo sua função e outras áreas associando as informações geradas. Por exemplo, quando falamos, fica em evidência a área da fala, mas também entra em cena a área da memória (responsável para que lembremos do que temos que falar e de memorizar a conversa que estamos tendo), a área da audição e da atenção, dentre diversas outras. Isso tudo ocorre de forma tão coordenada, que nem nos damos conta da complexidade de uma simples ação do dia a dia.


Em algumas situações, como em algumas doenças, diabetes descontrolado, intoxicação por substâncias e traumatismos, esse equilíbrio pode ser perdido, ocorrendo uma crise epiléptica, popularmente conhecida como convulsão.


Durante uma convulsão, há atividade elétrica anormal e excessiva no cérebro. É como se ocorresse um curto-circuito nos neurônios, fazendo com que os impulsos elétricos se espalhem de forma desordenada pelo cérebro. Isso pode causar mudanças na consciência, comportamento ou movimentos anormais. Essa atividade anormal geralmente dura apenas alguns segundos a minutos.


Crise convulsiva ou crise epilética? Tem diferença?


O nome mais adequado para o quadro acima é crise epiléptica. Crise convulsiva ou convulsão é o nome dado quando a crise epiléptica apresenta movimentos dos membros.


Nem toda crise epiléptica é convulsiva, algumas, por exemplo, ocorrendo apenas com a perda da consciência, como se estivesse “saindo do ar”, “ligando e desligando” (crise de ausência), mas sem nenhum movimento no corpo.


Exemplo de uma crise epilética não convulsiva. Note que a criança não tem qualquer movimento nos braços, apenas parece "sair do ar" por alguns segundos.






E epilepsia?


A epilepsia se refere a uma condição na qual uma pessoa corre o risco de ter crises epilépticas recorrentes. Nem todo mundo que teve uma convulsão tem epilepsia. Por exemplo, após uma noite sem dormir com grande consumo de bebida alcoólica, o indivíduo pode ter uma crise epiléptica mesmo sem ter epilepsia. Em uma outra situação, durante um quadro de meningite, o paciente pode ter uma crise epiléptica pela lesão cerebral, melhorando completamente com o tratamento da infecção.


Pessoas com epilepsia têm um tipo de disfunção cerebral que causa episódios intermitentes de atividade elétrica anormal. Isso pode ser causado por qualquer tipo de lesão cerebral, como trauma, AVC, infecção cerebral ou tumor cerebral. Em alguns indivíduos, a epilepsia é uma doença hereditária. Em muitos casos, a causa das crises epilépticas não é clara.


Nos demais posts, vou entrar em detalhes sobre essa condição tão prevalente e ainda cercada de muita dúvida. Caso tenha algum questionamento, fique à vontade de perguntar. Quem sabe sua dúvida possa ser tema de um post no futuro?

213 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo